Revista Sucesso

Atualizado em 06/03/2017

Saúde

Sarcopenia: prepare-se para envelhecer sem ela

Associada ao envelhecimento, doença que causa perda de massa muscular pode ser prevenida

Da redação

Todo indivíduo, a partir dos 45 anos de idade, em média, começa a perder massa e força muscular. Essa perda progressiva e generalizada é conhecida como sarcopenia, uma síndrome que ocorre devido ao envelhecimento do ser humano e que, se não diagnosticada e tratada, pode levar à incapacidade e dependência funcional dos músculos. Em outras palavras, isso significa que a doença pode afetar a vida do paciente idoso a ponto de que ele perca a autonomia e passe a necessitar de cuidados constantes de terceiros.
O ortopedista e traumatologista Leopoldo Hoffman Storti, da Ortoclin, explica que a perda de massa muscular leva a um desequilíbrio e a uma sobrecarga das articulações, com consequente dor articular. “E o que advém de tudo isso? Acidentes domésticos, como quedas frequentes com lesões osteoarticulares, fraturas e muita dor.” Em alguns casos, a sarcopenia pode até favorecer o desenvolvimento de outros problemas, como artrose precoce. Felizmente, conforme nos lembra o especialista, ela pode ser evitada. “Hoje sabemos que é possível prevenir a sarcopenia – e até revertê-la em alguns casos, com o tratamento adequado – cuidando-se precocemente”, afirma.

Como evitar? - A prevenção da sarcopenia, de acordo com o especialista em ortopedia geriátrica Leopoldo Storti, começa com a prática regular de atividades físicas ao longo de toda a vida, mas sobretudo após os 40 anos de idade, quando a perda de massa é mais presente. “Essas atividades não devem ser interrompidas por longos períodos e devem ser de preferência com exercícios de resistência, como pilates, natação e musculação de baixa e média carga”, acrescenta.
Além das atividades físicas, as reposições nutricionais também são essenciais para se evitar a perda e até mesmo para promover o ganho de massa muscular. “Essa reposição é feita através do cuidado com a alimentação adequada, mas também com a suplementação de nutrientes que estimulam a síntese proteica muscular, promovendo o aumento da massa muscular dos idosos. São eles: proteínas, leucinas, vitamina D, ácidos graxos, sais minerais e colágeno, entre outros.” Segundo Storti, é importante que os cuidados sejam iniciados precocemente. “Não se deve primeiro deixar ocorrer a perda de força e massa muscular, para depois buscar o tratamento.”

Questão de qualidade de vida - A sarcopenia é uma doença real e presente na evolução do ser humano e, portanto, não pode ser desprezada. Infelizmente, segundo o ortopedista Leopoldo Storti, ainda são frequentes casos em que o paciente com sarcopenia não é diagnosticado corretamente, levando a tratamentos inadequados, que tratam apenas os sintomas. “Outro problema é que muitas vezes o paciente com dor passa a se automedicar, utilizando anti-inflamatórios e analgésicos de maneira incorreta e podendo vir a causar danos em outros órgãos, como fígado e estômago. Não podemos ignorar a sarcopenia, o que podemos fazer é a escolha de como queremos envelhecer: com ou sem qualidade de vida, com ou sem lesões músculo-esqueléticas que muitas vezes podem ser evitadas.” conclui.

Leopoldo Hoffman Storti, ortopedista e traumatologista - CRMPR 7680

Sarcopenia, geriatria, exercício, Leopoldo Storti, Leopoldo Hoffman Storti, Ortopedia geriátrica
Mais lidas
  1. Soluções inteligentes e funcionalidade
  2. Educação Infantil: um mundo de descobertas
  3. Cuidar das articulações garante vitalidade
  4. Ouvir bem é vida
  5. Disfunção eréctil: será que vou ter?
Leia também
  1. Manchas podem ser sinal de câncer de pele
  2. Dezembro Vermelho: Mitos e verdades sobre a AIDS
  3. Cinco mitos e verdades sobre o Glúten
  4. “Se exponha mas não se queime”
  5. Falhas em hospitais são a segunda maior causa de...